Pessoal médico olhando para o visitante de www.penimaster.pt ou em discussão

Relatórios médicos

Relatório do médico Prof. Dr. Gottfried Lemperle sobre o PeniMaster®PRO

  • A utilização de um extensor de pénis antes e após as cirurgias ao pénis é útil
  • em caso de complicações, como preparação para um implante de pénis, em caso de injeções de um enchimento PMMA para o engrossamento do pénis
  • relativamente a um extensor não há alternativas
  • Um extensor deve cumprir determinados critérios de construção para poder ser usado de forma confortável e por um período de tempo suficientemente longo e após uma cirúrgia
  • A câmara de vácuo de um extensor deverá ter forma anatómica, para possibilitar o máximo de conforto e tempo de utilização possível.

A utilização do PeniMaster PRO em operações de alongamento e aumento peniano

Durante o meu tempo como cirurgião plástico no Hospital Markus em Frankfurt, de 1971 a 1994, criámos um centro para transexuais, onde eram atendidos maioritariamente doentes transexuais femininos que pretendiam a construção de um pénis. No período posterior na Universidade da Califórnia em San Diego fui confrontado com os problemas de aumento peniano recorrendo a implante de silicone tubular (Elist Penile Implant) em Los Angeles ou a injeções sob a pele do pénis de um produto brasileiro (Metacrill) através do Dr. Casavantes em Tijuana.

No caso de complicações, em especial, considero útil o recurso a um expansor peniano, com o qual o pénis se mantém distendido durante um maior período de tempo para melhorar o resultado da operação ou para o proteger. Por exemplo, o alongamento do pénis durante várias horas diariamente ao longo de vários meses conduz a uma clara distensão dos tecidos. Consequentemente, o pénis apresenta, no momento da operação, o seu maior comprimento natural no qual poderá ser colocado o maior implante de silicone possível. Regra geral, este é o desejo do doente.

Os resultados de 400 doentes do Dr. Elist mostram também (v. a minha apresentação “Aumento peniano com o implante de silicone Elist ou um preenchedor PMMA permanente”) que, em consequência de um implante de silicone, em 3,4% dos casos se verificam inflamações leves, situação que levou à remoção do implante em 2% dos homens por um período de, pelo menos, três semanas. Neste período, o pénis encolhe consideravelmente devido a reações da cicatrização e à contração da cápsula, sendo difícil a sua correção posterior usando novamente um implante de igual dimensão. A utilização de um expansor durante este período impede, em geral, a retração do pénis e possibilita um segundo resultado igualmente satisfatório.

Da mesma forma, depois da injeção de um preenchedor de PMMA, um expansor impede irregularidades e deslocações indesejadas através de uma eventual imobilização em posição esticada até que os microimplantes estejam bem fixados na barra. Em conjunto com medicação para evitar ereções noturnas (Clonazepam 1 mg ou Proscar 5 mg à noite), o expansor mantém o pénis esticado ao comprimento e minimiza este problema.

Não existem alternativas à aplicação de um expansor peniano nas áreas de utilização descritas. No entanto, para os cuidados pré e pós-operatórios, este tem de apresentar um conforto de uso elevado para que possa ser aplicado durante o período de tempo necessário. Expansores que aplicam a força de tração através de barras, sistema de cintos ou pesos sobre o pénis são, normalmente, fixados por uma alça de borracha por trás da glande. Neste caso o pénis pode ser dolorosamente pressionado, podendo também verificar-se uma redução da circulação sanguínea à glande. Estas duas alternativas implicam a remoção desse expansor após um período de tratamento relativamente curto.

Depois da colocação de um implante de silicone Elist no pénis não poderá, em princípio e devido à sua fixação sob a glande, ser colocado um expansor com fixação por alça. Atualmente, o único expansor que utiliza exclusivamente a glande para a transposição da força de tração ao pénis possui, em vez da alça, um cone de pressão semelhante a um preservativo como sistema de contacto.

Para que esse cone exerça a menor pressão possível sobre a pele sensível da glande do pénis, o preservativo especial da glande deverá ser adaptado à forma anatómica da glande, de modo a conseguir uma fixação fisiologicamente suave e por fricção sem esticar ou deformar a glande. As dores da utilização ou os efeitos secundários, como bolhas na glande, provocam a interrupção temporária do tratamento de alongamento.

Prof. Dr. Gottfried Lemperle

HanswjacobCC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Curriculum vitae Prof. Dr. Gottfried Lemperle

O Prof. Dr. Gottfried Lemperle, uma autoridade na cirurgia plástica, tem contribuído bastante para a medicina. Já escreveu mais de 250 publicações científicas e foi coautor de diversos livros, além de ter sido editor de variados manuais sobre cirurgia plástica e estética. Além disso, o Dr. Lemperle já realizou mais de 600 apresentações científicas e realizou 12 filmes científicos e vídeos sobre novos métodos de operação na área da cirurgia plástica. Durante mais de 20 anos, o Dr. Lemperle foi professor na Universidade de Frankfurt, na Alemanha, e é professor clínico voluntário na Universidade da Califórnia, San Diego, desde 1998.

Condecorado com a Medalha Dieffenbach pela Sociedade Alemã de Cirurgiões Plásticos, Reconstrutivos e Estéticos em 2010, o Dr. Gottfried Lemperle tem alcançado resultados notáveis na cirurgia plástica. Enquanto professor na Universidade de Frankfurt e simultaneamente diretor administrativo e, posteriormente, diretor do departamento de cirurgia plástica no hospital de St. Markus, o Dr. Lemperle contribuiu com diversas estratégias operacionais para a área. As suas inovações incluem técnicas de reconstrução mamária e correção de deformações faciais como fenda palatina, entre outros avanços na cirurgia plástica.

Na Alemanha, foi eleito um dos melhores especialistas em cirurgia plástica do país e é autor de variados livros e artigos em publicações científicas sobre cirurgia plástica.

Em 1979, o Dr. Gottfried Lemperle fundou a Interplast Germany e.V, uma organização sem fins lucrativos que realiza cirurgias plásticas gratuitas em pacientes selecionados em países em desenvolvimento com problemas que podem ser corrigidos através de cirurgia. Desde então, o Dr. Lemperle já realizou mais de 30 missões Interplast em diversos países da Ásia e da África. É membro honorário da organização e continua a voluntariar os seus serviços. Em 1997, o Prof. Lemperle foi honrado com a Bundesverdienstkreuz 1. Klasse alemã (cruz de mérito federal).

Também envolvido na indústria da biotecnologia estética, o Dr. Gottfried Lemperle exerce o cargo de diretor médico da AscentX Medical, Inc. e de consultor médico chefe da Hafod Bioscience B.V. É também membro honorário do Conselho de Pesquisa em Cirurgia Estética Plástica chinês.

O Dr. Lemperle vive com a sua mulher em Frankfurt/Main, Alemanha.

Prof. Dr. Gottfried Lemperle acerca das cirurgias ao pénis e do PeniMaster PRO

  • Apenas o PeniMaster PRO preenche os requisitos do prof. Lemperle de um extensor de pénis.
  • Apesar dos mecanismos de proteção construtivos contra os efeitos secundários devido a sobrecarga o paciente deveria adaptar-se ao aparelho durante um longo período de tempo.
  • O extraordinário é que a câmara da glande da forma adaptada PeniMaster PRO entra com a glande e também não desliza do pénis devido ao suor e à gordura.
  • O prof. Lemperle recomenda o PeniMaster PRO como única possibilidade para a utilização pré-e pós-cirúrgica.

A utilização do PeniMaster PRO em operações de alongamento e aumento peniano

Dos produtos que conheço, disponibilizados em congressos ou na internet, somente um dispositivo satisfaz os critérios acima referidos, o PeniMaster PRO, fabricado pela empresa MSP Concept GmbH & Co. KG em Berlim/Alemanha e comercializado como dispositivo médico de classe I.

A fixação anatómica à glande pode ser utilizada com uma barra ou com um cinto para o alongamento do pénis. O sistema de cinto parece, à primeira vista, flexível, contudo a barra não é de uso tão rígido quanto possa parecer. Além disso, a barra só pode ser utilizada duas a três semanas após a operação de alongamento, uma vez que o anel de suporte pressionaria o tecido cicatricial fresco decorrente da separação das bandas de suporte do pénis (suspensorium).

No caso dessa operação de alongamento é vantajosa a utilização de um expansor do pénis para contrariar o efeito de retração do pénis devido a tecido cicatricial retrativo. Neste caso, a variante do expansor como cinto de joelho (perpendicular para baixo) ou de ombro (inclinado para cima) é vantajosa.

No caso do expansor de glande poderão verificar-se tumefações do prepúcio, na medida em que este é puxado para trás pela câmara de vácuo, assim como bolhas ou hematomas na glande. Em geral, estes problemas surgem quando o doente aplica desnecessariamente o vácuo ou forças de tração disponibilizados pelo sistema sem que tenha havido um período de estabilização. Este é neutralizado com uma membrana adaptativa que envolve a glande durante a aspiração para a câmara. No entanto, o doente deverá habituar-se gradualmente ao longo de duas semanas ao tratamento de alongamento e a maior força de tração.

De salientar no sistema PeniMaster PRO que durante a utilização a membrana da glande se adapta de forma dinâmica e não escorrega devido à humidade (p. ex. transpiração). Assim se demonstra que se cria, efetivamente, um encerramento entre a glande e a câmara pela forma e não pela força. Está contudo prevista a aplicação de um óleo de silicone entre a membrana e a glande para um maior conforto e um maior efeito de aderência.

Dado que os efeitos secundários do PeniMaster PRO são evitáveis mediante um manuseamento correto e de acordo com as instruções de utilização e ser possível uma rápida recuperação através da interrupção de uso, considero a relação de risco-utillização deste inovador dispositivo como muito boa e recomendo-o em aplicações pré e pós-operatórias.

Referências:

  1. Nabil N, Hosny H, Kadah A, Shamloul R. Evaluation of surgical outcome of penile augmentation and lengthening procedures. Urol Int. 2013;90:465-469
  2. Shirvanian V, Lemperle G, Araujo Pinto C, Elist JJ. Shortened penis post penile prosthesis implantation treated with subcutaneous soft silicone penile implant: case report. Int J Impot Res 2013;10:100-104
  3. Elist, JJ, Shirvanian V, Lemperle G. Surgical treatment of penile deformity due to curvature using a subcutaneous soft silicone implant: Case report. Open J Urol 2014;4:91-97
  4. Casavantes L, Lemperle G, Morales P. Penile Girth Enhancement with PMMA-based soft tissue fillers. Accepted by the Journal of Sexual Medicine
  5. Lemperle G, Elist JJ, Safety and Effectiveness of the Elist-Silicone-Implant for Penile Augmentation. Submitted to the Journal of Sexual Medicine

Prof. Dr. Gottfried Lemperle
Cirurgião Plástico
Frankfurt am Main